What?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A primeira sopa

Produzir este alimento pode parecer loucura mediante a sua simplicidade. É por esta razão que o preparo demanda um tanto de sensibilidade e vontade implícitos, porém expressos com toda leveza que o seu ser é capaz de apresentar. E assim fiz com a minha primeira sopa. Ficou realmente agradável. Finalizada com o bater no liquidificador porque sopa onde é possível enxergar diretamente os ingredientes é de tamanha grosseria que eu não me atreveria a entregar para ninguém como um gesto executado pela minha leveza. E desta forma, em quantidade reduzida porém em sabor resplandescente, digno para um início de noite de segunda, eu servi. Me dei ao luxo de experimentar, afinal, precisava saber exatamente a capacidade criativa sem embasamento numa receita existente. Tentei buscar uma receita que satisfizesse minha necessidade porém nenhuma foi capaz de contemplar a minha vontade. Não pelo critério de exigência, mas, pela necessidade de simplicidade devido a quantidade de ingredientes que eu possuía também. Nunca imaginei em vida que escreveria sobre a experiência de se produzir uma sopa. A boa sopa está na riqueza em ser saborosa sem exageros.