What?

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Transtorno

Estou com sérios problemas para escrever. Me desculpem.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

A1

O tempo não era a maior preocupação
O aprendizado formal se tornou efêmero
O frio da espera precisava de um manto
O calor do abraço acalmou o coração

O instante na distância do compromisso
Os corpos permutando em seu próprio campo
Em seu tempo, em sua hora
Ser humano era formalidade.

sábado, 24 de setembro de 2016

Anos Passados

Cada vez mais acumulamos anos que passam. Anos que podem ter sido bons ou ruins, normais, tediosos na maioria das vezes. Repetitivos. Datas, objetivos, lições a se aprender. Ninguém quer mudança. É apenas uma falsa promoção do bem estar, lazer, conforto, segurança. Nada mais é propício. Todas as fotos tiradas (que são centenas), milhares estão esquecidas em algum cartão de memória. Os álbuns são apenas comentários que não expressam a necessidade de ver. Ver é um fardo, todos estão saturando-se de imagem cotidianamente. Ver torna-se uma tortura, um sacrifício. Ninguém quer ver. Muito menos enxergar. Enxergar requer atenção, fluxo de pensamento, análise. Mas os olhos não querem processar. Estão inchados.

Por isso, momentos de isolamento imagético são necessários. Evitar de assistir um programa de tv, vídeo, amenizar a onda de informações que o atinge é de grande ajuda para manter o pensamento menos conturbado. Ler textos saudáveis é essencial para nutrir e fortalecer a mente para eventuais leituras que sejam realizadas posteriormente. Fortalecer a mente com o conhecimento é maior arma contra o sofrimento sem explicação. O tema você escolhe.

Esses anos passados, cada vez mais fugazes não fazem sentido para quem escreve. São apenas borrões. O sentido da temporalidade construída e aceita não tem se encaixado na perspectiva da sua leitura do mundo. Talvez um dia seja explicado como isso se processa em sua mente, talvez nunca.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

P.or ve.zes.

Por vezes,
compartilhar o café pode ser mais íntimo do que os lábios tocar
encontrar as mãos pode ser mais íntimo do que agarrá-las propriamente
um sorriso pode acalmar o coração mais do que a frase dos amantes
é preciso quase nada para se obter a essência.



domingo, 14 de agosto de 2016

Cegueira Alumiada

O mundo espera pelo momento ideal para me punir.
Ele espera minha entrega para o açoite.
Como numa valsa ao luar
Eu danço às cegas
Porque o vislumbre é grande
E não consigo enxergar a desgraça
Que sucede.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Co Wash - O Início

Olá,

Retorno para atualizá-los sobre uma das técnicas mais faladas do momento. Existem muitas resenhas e textos explicando como funciona, quais produtos utilizar. Estou com o Yamasterol de Babosa e D-Pantenol. Iniciei hoje (01-07-2016) minha lavagem apenas utilizando ele, massageando na cabeça e puxando para os fios e realizei o enxágue. Utilizei também para finalizar o penteado. Resultado:


Uma fada passou na hora da foto, ignorem.
Continuarei testando durante o mês de julho informando o quanto vale a pena a técnica.
















Dia seguinte:

Tempestade de poeira solar, sempre me acontece coisas assim.
Resultado satisfatório. O cabelo ficou com uma textura macia, formação levemente definida dos cachos e aspecto brilhante. Farei uma nova postagem assim que perceber uma diferença significativa. Por ser um creme de textura leve, não há sensação de cabelo sujo, gorduroso, pesado.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A primeira sopa

Produzir este alimento pode parecer loucura mediante a sua simplicidade. É por esta razão que o preparo demanda um tanto de sensibilidade e vontade implícitos, porém expressos com toda leveza que o seu ser é capaz de apresentar. E assim fiz com a minha primeira sopa. Ficou realmente agradável. Finalizada com o bater no liquidificador porque sopa onde é possível enxergar diretamente os ingredientes é de tamanha grosseria que eu não me atreveria a entregar para ninguém como um gesto executado pela minha leveza. E desta forma, em quantidade reduzida porém em sabor resplandescente, digno para um início de noite de segunda, eu servi. Me dei ao luxo de experimentar, afinal, precisava saber exatamente a capacidade criativa sem embasamento numa receita existente. Tentei buscar uma receita que satisfizesse minha necessidade porém nenhuma foi capaz de contemplar a minha vontade. Não pelo critério de exigência, mas, pela necessidade de simplicidade devido a quantidade de ingredientes que eu possuía também. Nunca imaginei em vida que escreveria sobre a experiência de se produzir uma sopa. A boa sopa está na riqueza em ser saborosa sem exageros.

domingo, 3 de abril de 2016

Excerto das Desgraças

Parte 1 - Morte feita

Meu caro amigo
Com a morte da mãe sonhar
A ti ou ninguém, desejo
É um grande vazio, imenso
Que se aloja

E as perguntas sem respostas
Que temos tanto e não fizemos
Só ficará um corpo imóvel
Que desfaleceu

Que segurei em meus braços
Mas que força nenhuma tive
Para impedir o jazigo
Para conter-lhe o fim próprio.

Parte 2 - Morte vivida

A gramínea está fodida
A história não termina aí
Posso ter a grama boa
Perseverar é a chave

Pensei bem de leve
Me jogar pra verde ilusória
No entanto sabia que
Era suicídio

Reconhecer desgraça em vida
É desafio maior
Se jogar para chegar antes
Só quando a sanidade se for.

domingo, 6 de março de 2016

A aliança - Para Iago

Trocar alianças não se resume apenas a colocar no dedo de outrem o objeto escolhido em nossa sociedade ocidental como representação de um vínculo. É o comprometimento que se faz ao escolher uma pessoa para cuidar e amar. O dicionário diz:

Aliança é o ato ou efeito de aliar-se. É um pacto, um ajuste, um acordo. É a união harmoniosa de coisas diferentes entre si.

Sendo fortemente atrelada a feitos bastantes importantes para os negócios, relações entre indivíduos em todos os âmbitos, as alianças demonstram o acordo feito entre as partes em tal decisão. No entanto, removendo todo o papo burocrático, alianças são nada mais, nada menos que um lembrete de que você não está sozinho. Que você poderá ajudar e que também terá alguém por você. A companhia, as dores. Tudo.

Esta união harmoniosa que tenho hoje, me deixa feliz. Não há palavras que descrevam, todas parecem muito poucas, muito impróprias, muito utilizadas. O que importa é o que somos. O que importa é porque estamos dedicados nisso. E sempre serei grata por tudo que me proporcionou. 

Principalmente a felicidade após tanto tempo de tristeza.
Te amo gordinho.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Reflexões - 01

Às vezes é bom pensar sobre o tempo e como ele se estabelece no mundo. Percebe-se que há uma constante produção do passado pessoal. Todas as pessoas realizam instrisecamente. Anotações, impressões e pensamentos fazem parte de um passado-contínuo.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Surrealismo Cotidiano

Sinceridade sempre é difícil. 
Você
tem que arcar com as dores
da mentira
que todos se confortam
em conviver.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016