What?

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Sobre: Energia.

Bateria carregada.
Economize energia 
removendo 
carrega dor, 
da tomada.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

História Geral

Mais valia
Despotismo
Pois se, a prova
Liberalismo
Capitalismo
Socialismo sem sol
Anarquismo sem vox
Suserania em topo
Vassalagem em fosso.

Esse terror,

que permeia os olhos das nações.
Que fulmina o ódio entre as nações.
É fruto do mal da existência.
Corrupta, humana e terrena.

domingo, 28 de outubro de 2012

Essa é pra tocar na tv...

Sem querer acabei de encontrar um blog interessante que talvez lhe interesse também. Sabe quando toca alguma música em uma propaganda e você até mesmo conhece mas não se lembra o nome? Pois então, achei um blog especializado nisso! (:

Confiram aqui.

sábado, 27 de outubro de 2012

Rever-o-tempo ou simplesmente Déjà vu.

E já era.
Talvez fosse outrora
Talvez não mais fosse
O disco sem fim
Meu disco sem fim
Se repete
Desta vez com uns detalhes diferentes
Ou talvez iguais, porém esquecidos.
Ou talvez apagados propositalmente.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A roupa

A roupa
O ser
A roupa
Ou ser
Ser roupa
Não ser
Sem roupa
Sem ser
Com roupa
Outro ser.

Sol[à]r dor.

Ele queima.
Não tanto ou tão quanto,
a dor de amor?
Não se sabe.
O amor afeta a mente.
O sol queima na pele.
Dor de amor.
Insolação.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Maria 01#

Maria.
A minha Maria é linda.
Ela é caule.
Eu sou flor.
Orvalho.
Maria é sereno.
Meu sereno.
Eu sou a flor de Maria.
Perfumo seu coração.
Maria.
Eu, doce.
Ela, salgado.
Macia.
Tem espinhos no caule.
Tem espinhos na flor.
Tem amor em Maria.
Tenho amor por Maria.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Nunca que se desenvolve este corpo!
Sempre inchando e esvaziando com o partir do ciclo hormonal elevado.
Nada fica, que é isso?
Andrógena sou, doente errada.

Felicidade.

"Será que a encontrei?"
Não soubera direito desde então. Fora feliz ou julgou ter sido? Era um grande mistério. Observar através de imagens em múltiplos sorrisos facetados era complexo demais. Hoje não fizera nada de tão especial. Caminhou conforme o costume, encontrou um pouco mais de choros calados e nada podia fazer. Não era a Madre Teresa, talvez nunca seja. Quisera dormir e nada feito. Decidiu mergulhar no mar, de maneira serena. Aquele dia as águas estavam mornas, o clima ajudou bastante. Sentiu o contato da água com o corpo e foi nadando rumo ao fundo. Era muito terno aquele mar quente abraçando-a enquanto parecia sonhar. Flutuando por entre as marés, decidiu parar após ter conseguido chegar a pedra da lua.
Quisera jogar seus prantos no mar, não podia, então os deixou ali, em seu rosto.

domingo, 21 de outubro de 2012

Matar [o] que é bom, nada.

Era apenas uma bela manhã, com nuvens espessas, o dia começara sombrio. Chuva intensa que se afinou. Caminhando e olhando para os próprios pés seguiu, por mais um dia neste itinerário em ciclo. Vai, volta, dorme, acorda. "Que mísera vida!", pensara. Talvez outrora fosse por seus dias sempre iguais, mas, já não era. Nada mais era de fato tão importante. O mundo tinha uma forma estranha de existir. As pessoas coexistindo porque necessitam de laços nunca compreendidos. Amam fulano, querem Ciclano, comem Beltrano pois, Beltrano é fácil. E foi neste trilhar de dia chuvoso e frígido que o sol surgira. Estava um tanto quente apesar do dia aparentar nebulosidade. E foi assim que pegou a carta digital, entregou seu dízimo de vida e sentou-se ao lado do sol.
- Bom dia - disse.
- Bom dia - sorriu, iluminando tudo em volta.
Estar em contato com o sol pode ser ofuscante, alguns diriam mortal. Mas é tão apaixonante poder vislumbrar algo tão belo, de perto. E estar tão próximo gera aconchego, calor. Já não precisara mais das vestes de frio. E assim retirou o casaco que trajara aquela manhã. Chegou numa estação onde o submundo do mundo existe. Onde o que é frio torna-se macio, o que é lixo, pode ser café da manhã de outrem. Realidades gritantes. Elas estouravam e nada, nem ninguém os ouvira. Continuou seguindo. Subindo escadas frígidas, caminhando. Tivera um bom dia. Gostava de olhar para o sol em demasia. Após saciar-se em seu refúgio pessoal, caminhara mais uma vez ao encontro do que poderia ser uma de suas vocações de vida talvez. Vira que não tem uma vida tão mísera. Quisera ser doce e poder brincar com todas aquelas crianças que talvez não mais estivessem ali depois de alguns meses. "Tem pessoas demais por aqui", pensara. E nada fez, apenas observou e quis com todo coração cuidar.
- Quero fazer algo do gênero, ajudar, desenvolver.
- Também. - "Temos desejos iguais." - foi o que pensara.
Caminhara de volta, por trechos não percorridos antes a pé e seguiu sem medo do que talvez pudesse acontecer, e nada aconteceu. Retornara com um pouco de fé que afinal haviam pessoas boas naquele mundo.

sábado, 20 de outubro de 2012

O que te anima?

O que te anima minha menina,
menina, menina
O que espera na vida,
vida, vida
O que te assusta querida,
querida, querida
Não se aflija, você é maior do que tudo isto.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Hoje,

eu precisava dormir, e não apenas isso, eu precisava sentir. Controle automático desativado. É realmente fácil sacar como as pessoas se adaptam rapidamente ao sistema. Fora disso, voltando pra mim, estou entediada do mundo. Faremos mil análises sobre os problemas sociais, pode-se até tentar saná-los, mas, o mundo   continua o mesmo. Utopia. Hoje nosso mundo é utópico e ilusionista. Eu quero apenas dias tranquilos vivendo ao lado de quem me respeita e me quer bem. Fora isso, a realidade é que a vida das pessoas piora a cada dia.


Eu estou preocupada com o Enem. 
Estou com saudades de você constantemente.
Nunca soltei sua mão, acho que apenas parei de andar por uns instantes.
Vamos continuar sim (:

domingo, 14 de outubro de 2012

Efusamore

Tão linda,
tão solenemente bela
em todos os aspectos
pensados ou não.

Tão grande e frágil
tão forte e sublime
tão cega estive antes
e agora já enxergara.

Pois de maneira tal
já não podia-se mais dizer que a amava
porque é algo além disso
talvez fosse o amor mais puro que já sentira.

E perdida em tantos pensamentos
chegando ao êxtase de loucura,
voltou a si apaixonada
e amando.

Efusamore.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Saga Capilar - parte 1

Vejamos, por onde posso começar...

Nasci com um cabelo bem escuro, acredito que quase preto. Ele clareou com o tempo, ficou loiro na infância e no fim das contas ficou entre castanho médio/claro. Passou o tempo e sempre tive vontade de mudá-lo. Queria cortar e o fiz. Quem me conhece, sabe o quanto gosto de mudar meu cabelo. Dei luzes e um corte em junho do ano passado. Vejam um pouco dessa mudança.

Cor natural:



"Primeiro corte" de muitos outros:



Luzes e corte:


Achei o resultado um pouco forte no começo, isso foi mudando com o passar do tempo e até que curti.




Só que tinha vontade de cortar (e precisava) e foi o que eu fiz:



No próximo post contarei sobre a minha primeira mudança radical e a decisão de querer vermelho.

O que acharam das mudanças? Deixem seus comentários :)

p.s. Na página do Isa Sem Neura no facebook coloco mais fotos.





Androide

Não sou mulher,
sou um indivíduo,
com hormônios femininos,
com poucos seios e sem pinto.

Sou androide.

Sou covarde,
não sou forte,
ser mãe por minhas entranhas,
nem cogito.

Sendo homem
seria o leão covarde
daquele mundo,
o tal de Oz.

Sendo mulher,
sem poder de sedução,
sem força de mulher,
sem sensualidade.

Mulher de batom é bela,
eu com batom,
miséria.

Talvez eu nunca descubra o que de fato sou.


sábado, 6 de outubro de 2012

Espetáculo, cores, resumo

O dia começou bem e terminou bem! Sim, apesar do trânsito caótico que enfrentei, foi por uma boa, ótima causa. O nosso encontro fora bom e exótico, divertido. Eu senti ciúmes pelo fato de que eu como sendo da doninha, tenho que ocupar carga horária maior depois de Fred. 

Estava pesquisando cores de cabelo. Fiquei dando uma passada de olho nos loiros. Alguns realmente chamaram a minha atenção e fiquei em dúvida sobre vermelho ou loiro. Por fim, observei que o loiro que eu gostaria pra tirar depois só com uma tinta muito escura e outra série de fatos que não estou afim de relatar por agora. Quem ganhou no fim das contas foi o ruivo natural. Eu sempre fiquei fascinada com esta cor. É exótica e bonita. Combina comigo. Espero que combine com meu tom de pele. Eu pintei meu cabelo de vermelho há um certo tempo atrás, neste ano. Eu queria o cabelo vermelho, mas, depois, vi que meu objetivo é ruivo natural. Vou em busca de minha vontade :)