What?

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Noite Insana, mesmo dia, outro texto.

Não sofro  de mal dormir, 
os outros que sofrem por dormir cedo, 
com agonia para um dia que mal se preparou para raiar.
Eu meio que gosto de fazer parte deste bastidor natural.
Enquanto todos dormem com suas ocupações,
começo  a tecer uma nova canção, ou um texto talvez, 
para lhes tomar o tempo apenas pro conforto sutil de poucos instantes,
porque seus dias são vorazes veloz.
E eu vou continuar assim...
tecendo.


Bailinho de Quinta, domingo.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Noite Insana

Mãos  levianas que pertencem a mim, mãos levianas que insistem em tocar-te, fazer arte mostrar o quão bom é sentir o doce toque. Deixei-as em repouso apenas com um leve pouso pra tentar te ninar. E já não mais era pois então encontrava-se a vista cerrada com insistência em dormir pois o novo dia a aguardava para lhe trazer mais tédio enquanto eu apenas desejava te tocar, afagar e ganhar um beijo se merecido fosse.

___________________________________________________________________

E minha Vênus de Milo encontra-se coberta em seu falso "transis sono" e eu com vontade do licor me saciar.
Morro de sede pela "in transa" não dada.

_____________________________________________________

É horrível querer dar sem "poder". É horrível ouvir o palpitar do meu coração que se encontra ansioso.
Querer gozar à vida é pedir demais?

____________________________________





ps. Coletânea de textos que fiz na madrugada de domingo pra segunda.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Era uma vez...


Uma garota.
Só.
Uma vez essa garota acreditou em coisas que não valiam absolutamente nada.
Ela aprendeu a acreditar em novas coisas.
Teve esperanças.
Perdeu.
Ganhou-as novamente e tenta acreditar em algo bom desde então.
As perde cada vez que algo de ruim acontece.
Mas quando vê algo bom acontecer, ela se fortalece novamente.
Ela voltou a brigar consigo.
Desconta nos outros sem querer.
Ela tem raiva.
O dom primitivo do ser.
Ela vai procurar por tudo que deseje aprender.
Ela é assim.
Aqui, ali.
Exploradora,
romântica sonhadora.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

From The Sea, vindo dos mares de Washington.

David, Craig, Jon and Daniel.
Gostaria de dizer que após uns posts revoltados, trago-lhes boas novas meus queridos! Eu cheguei a falar dessa banda para alguns amigos, e agora estou expandindo isso através do blog. Eles são de Washington e tem um som muito bacana que remete ao bom e velho rock n' roll. 

-Vocês sempre irão me ver falando sobre alguma banda que acho bacana afinal eu amo música.

David Moore, baixista.
Daniel, o vocalista.
A primeira vista, eu fiquei realmente encantada quando ouvi. E lhes indico ouvir primeiro a mesma canção que me fez gostar deles: I Wont Leave. Escrita pelo vocalista (cujo também é guitarrista e toca piano, ele me contou como realizou a produção da música.

- Cara, eu realmente amo a canção I Wont Leave, pode me falar um pouco sobre a realização da música?
(Dude, I really love I Won't Leave, you can talk a little how you produce that song?)

Craig Landon, o guitarrista.
- Atualmente, essa é uma das poucas canções que eu escrevi e produzi por mim mesmo. Eu a fiz usando meu teclado e guitarra e gravei com um mixer no meu quarto. Quando finalizei, mostrei aos caras e eles adoraram. Quando nós fomos ao estúdio gravar, decidimos pôr a canção no álbum. Eu fico muito orgulhoso de ter esta canção no álbum. Eu tenho muito orgulho desta música em particular. Fico feliz por ter mencionado ela.
(Actually, that's one of the few songs that I wrote and recorded all by myself. I made the song using my keyboard and guitar and recorded on a 16track mixer in my bedroom. I brought the finished song to the guys in the band and they loved it. So when we were in the studio recording, we decided to put that song on the album. I'm very very proud of that song in particular. I'm glad you mentioned it.)
Jon Thorn, o baterista.

- Como a banda começou?
(Where the band begun?) 


- Começamos em Tacoma, Washington em fevereiro de 2008. Nós morávamos muito longe um do outro e eu íamos pra casa de meu primo pra tocar. Seu colega de quarto não gostava e estávamos cansados de dirigir e nos mudamos pra Tacoma e alugamos um espaço pra tocar.
(We got started in Tacoma, Washington in February of 2008. We all lived miles apart and would drive to meet at my cousin's house to play music in his living room. His roommate's hated it, and we were sick of driving so far every day to play music, so we all moved to tacoma and now rent a storage unit to play in.)









Aqui vocês conferem as novidades e atualizações da banda: http://www.facebook.com/pages/From-the-Sea/88459869255
 

Pois voltei para atualizar e lhes contar a novidade. Os meninos gravaram vídeos de suas músicas! Confiram aqui com exclusividade:


Watch the Sky
http://www.youtube.com/watch?v=Wrn3xKJkaxU

The Fire
http://www.youtube.com/watch?v=UsfNaGalZxg

Never be Alone
http://www.youtube.com/watch?v=q8tu9woAJTQ

Crashing Down
http://www.youtube.com/watch?v=slwDVcbPh-w

The Viking
http://www.youtube.com/watch?v=x_e6ftlFPOc



 



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Procura-se: Ser Humano.

O preconceito está nesse ser, esse ser que tem mania de se achar superior, pura ganância por mais e que o resto se foda! Sim! Esse ser é perigoso, e encontramos ele todos os dias, ainda bem que nem todos são tão ruins, porque ser ruim está dentro de cada um deles. Sim! Podem estar mais perto do que imaginam, geralmente te rondando feito ave de rapina porque é assim que se encontram, ou, agindo feito cobra e aguardando pelo bote perfeito. Já dizia um livro que todos esses seres possuem uma sombra e quem ignora essa sombra pode ser atormentado por ela. Sim! Além de tudo esses seres tem mania de se acharem bons porque lhes foi criado uma espécie de lei universal onde: "Se não tens raiva e és bons, és perfeito, és humano". Não! Raiva é um dos sentimentos mais primário deles, raiva é tão normal quanto rir, chorar, amar ou até mesmo odiar. Sentimentos de fúria nesse ser são tão comuns que nos deparamos com ela em diversas situações. E é por isso que também elas ocorrem porque esses seres só podem ter sentimentos "bons e puros" os outros são mera: loucura.

Porque o Jensen é normal e Manson é um louco se ambos são tão lúcidos quanto qualquer um? Reflita.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Salvador, até quando?

Eu havia escrito em outro post, o quanto estou triste com a situação da nossa cidade e sobre os nossos "incríveis" jovens da nova era. E aí me deparo com um acidente aqui na A.C.M. onde provavelmente jovens imprudentes saíram pra beber e não tiveram responsabilidades o suficiente (caso contrário o acidente não teria acontecido). 

E aí os policiais decidem entrar em greve porque acham isso uma maravilha, ver a cidade em pleno caos.
Eu acredito que atitudes como essas são intencionais e tem dedo de politicagem nessa história.
Geralmente é sempre assim.

As pessoas precisam aprender o tempo certo para protestar, não são em poucos meses que o prefeito vai começar a fazer milagres...
E então você me diz, ora essa Isa, o problema é que as pessoas não sabem votar. E de certo modo eu concordo com isso, mas, acredito que falta instrução de verdade. Tem que ser passado pras pessoas que elas possuem o direito de reclamar. Um outro problema é que as pessoas reclamam de maneira errônea, sabe por que? Fazer a cidade parar com manifesto não vai fazer o cara sair do cargo ou algo do tipo. É necessário ao menos um abaixo assinado com uma boa parte da população colaborando e uma equipe que organize isso. Porque nada pode ser feito de maneira aleatória.
Então, temos que propor mudanças fazendo acontecer e não apenas gritando Fora Fulano! Ou qualquer outro.
E é claro, tem que ter ciência do que reclama, por isso, precisamos ver o histórico dos candidatos e cobrar o que eles nos prometem em cada ano de eleição. Porque se a gente não "cobra", eles não "envenenam".


LIBERTE-SE ENQUANTO AINDA PODE!

Surreal Real



-Você me conquista a cada verbete, ou pedaço de prosa. Você me faz bem em cada filete de lembrança encontrada não tão fundo na memória. Você é meu bem, e tão longe é mal, por ser tão carinhosa. - disse pra mim.


- Deixe lhe contar sobre o quanto é demasiada a minha angústia por não vê-la e não ter em meus braços. Vossa pessoa ficaria honrada ou preocupada em saber de tal sofrimento?


- Seria grata se o partilhasse comigo. - sorriu.


- Pois bem, já se passam poucos dias, sim, poucos dias que mais me parecem anos desde então. Possuo tecnologia e cavalaria. Não, não posso lhe buscar minha cara.
Isso me frustra.
E você ainda vai ser cantada e tentada nesta nobre viagem ao encontro de Condessa Gadú.
Onde mais poderia eu querer estar, senão envolvida em seus braços, ao redor de você, orbitando em seu corpo dando-lhe o que merecer. Não lhe prometo o melhor, apenas e somente eu, de carne e osso, nem um pouco celestial apenas com a voz dos anjos, pra lhe ninar em doces madrugadas, lhe aquecer nas noites frias e lhe esquentar todos os dias.