What?

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

A Casa Nostra

Uma casinha
Pra você e pra mim
E em imaginação eu via tão bela,
você e eu assim,
felizes.

Então há Natal

Noite tranqüila esta. Iniciada por uma nostalgia que me causou forte impacto. Assim como Marley, o cão já não apresentava mais sua juventude de tempos de outrora. Estava velho, assim como eu também estava. As construções que estavam sendo iniciadas agora já se encontravam prontas. A tecnologia havia chegado para esta pequena vila de casinhas e flores também. Apesar das mudanças, a paz ainda habitava aquele lugar. A brisa suave da tarde, o verde continuava presente e vivo, assim como nas minhas lembranças de outros tempos. Apesar da distância de longa data, eu ainda reconhecia o lugar muito bem. Desse mês natalino, me veio presentes, bons presentes. Descubro que minha segunda mãe ainda vive e encontrei uma forma de contato com ela. Encontrei uma velha companheira de boas brincadeiras na infância. Ela se encontra 4 anos mais nova que eu. Foi bom este Natal, apesar da saudade que senti de estar com ela também. Quanto aos presentes, estes não são materiais, ao contrário do que muitos pensariam. São presentes emocionais, psicológicos, realmente bons.
Uma coisa triste que notei fora o silêncio, onde em outras datas se ouvia crianças brincando e correndo por aí. Hoje, estão engordando e adoecendo, em frente aos seus computadores, tablets e afins. Essa geração irá precisar do dobro de tratamento em relação a minha num futuro não tão distante, afinal tudo passa muito rápido nesta vida. O Antigo Nintendo 64, fora substituído pelo Xbox 360 que a princípio me confundiu em demasia. É muita informação para quem está acostumada com algo menos "real".
Em resumo, está uma bela tarde agora, gostaria de poder registrar em foto toda beleza que há aqui.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A pessoa apaixonada,

Realmente de todo meu coração, espero que tua admiração por mim seja apenas amizade. E caso não seja, você precisa ir em busca de alguém que gosta de você. Não se iluda. Eu sempre deixei claro a todos que conheço, estou num compromisso sério com a Carolina e a amo. Isso que você faz é falta de respeito a mim e a ela.

Vou lhe contar com toda sinceridade. Já gostei de alguém que nem sabia que eu existia, gostei de gente que estava namorando, já gostei de amigo meu... Enfim, o que eu quero dizer é que isso pode acontecer, eu não te condeno, a gente não escolhe de quem vai gostar. Entendo o que você sente. Sinto muito por isso. Sinto muito se fui gentil e você interpretou de maneira errônea, de verdade. A única coisa que tenho a dizer é que vai passar e você vai superar isso.

Isso me lembra Platão. 
 
"O amor platônico é entendido como um amor à distância, que não se aproxima, não toca, não envolve, é feito de fantasias e de idealização, onde o objeto do amor é o ser perfeito, detentor de todas as boas qualidades e sem defeitos."
 
"Platão concebera o amor como algo essencialmente puro e desprovido de paixões, ao passo em que estas são essencialmente cegas, materiais, efêmeras e falsas. O amor platônico, não se fundamenta num interesse, e sim na virtude. "

Enfim, se cuide.
Você vai encontrar alguém pra ti, mas, não sou eu.
Eu já tenho a quem amar.
Você terá também.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Centro Cultural Ensaio, a saga.

O CCE nasceu de uma vontade de fazer arte. Fábio Tavares, vem atravessando obstáculos em sua busca por uma cidade rica em cultura e expressão. Então, se você ainda não conhece, faça-nos uma visita! Será um enorme prazer recebê-los em nossa casa.

Recentemente o grupo residente do CCE, Terra Brasilis, participou do projeto Canibália, confira:




O CCE promove cursos de teatro, dança, canto e outros.


 Gostou? Então se jogue!


Onde fica?
Na Leovigildo Filgueiras. Centro.
Salvador/Bahia/Brasil.
Site?
Centro Cultural Ensaio

p.s. No próximo post, novidades sobre a atual produção do CCE.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Sabe?

Não quero ir de lógica de Freud, Platão ou Aristóteles. Pensaram eles, sim. O que importa para mim além de pensar é sentir. E se sinto, qual o problema de não pensar? Raciocínio demais e sentimento de menos não vai tão longe. Se fosse assim, por conclusões lógicas eu findaria anulando o sentir pela probabilidade de hipoteticamente não dar certo. Se realmente fóssemos ouvir o danado do cérebro sempre, nunca iríamos vivenciar tudo o que fazemos. Você aprende que vai cair se fizer determinadas coisas, mas, o sentir quebra essa barreira que o cérebro constrói e o que fica é impressionante. Você sabe que pode cair, mas, quando não cai, é muito bom. E com a prática será tão bom que você nem se lembrará mais que um dia poderá cair. Afinal, a última coisa que um paraquedista pensa, é que vai morrer fazendo aquilo. Começo a acreditar que o pensamento tem poder. E com ele, tudo ao seu redor se constrói. O seu cérebro aliado com a emoção, cria as sensações que poderão ser prazerosas ou não. Cair faz parte. Mas, se realmente fóssemos dar tanta atenção ao que o cérebro diz, não faríamos muita coisa, ou melhor, não faríamos quase nada.Vamos fazer acontecer, vamos fazer dar certo. Afinal, é assim que funciona.

Certo?

Ainda

Ainda não aprendi a fazer tudo direito.
Minhas tentativas tiveram falhas, porém,
acredito no êxito.
Ainda penso em tanta bobagem.
Ainda choro de saudade.
Ainda e enquanto sou,
vou sofrer de amor.
Ainda não sei as palavras ideais.
Ainda tenho muito o que aprender,
sobre o que sou e o que almejo ser.
 Ainda há tempo.
Ainda 
tempo.
Ainda.

O suicida dramalhão

"É hoje, é agora!"
Anuncia.
"É amanhã, é depois."
Denuncia.
"É, pensando melhor."
Afirma.
"Não, já deu."

           se  
         jogou 
sem         
saber                   
porquê

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

De tamanha imensidão, um ínfimo ponto.

Passado sofrível, porém vivido.
Presente ameno, contudo tranquilo.
Futuro incerto, não há o que dizer.

Discórdia
aidrócsiD

Passível
levíssaP

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

03 de dezembro de 2012

Feras, flores
Cores
No meu
Cais

Sem acinzentado ser
Coração a pulsar sem fim
Que findará
No terreno

Vejo morte
Imensidão
Penso em desistir de tudo
Só que amanhã vai chegar

E vou te ver
Enquanto posso
Te sentir, enquanto corpo
Lhe escrever, até na areia

Sobre tudo que ainda não sei
Sobre coisas que talvez espero (Amanhã vai chegar)

Consciência

Ciente
Cons
ciente
Se sente!
cons
ente
con
sen
con
Ciente.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Madrugada, filme, saudades

Estou com sono. Vou dormir. Já são quase 3 da manhã. Eu estava testando minha resistência de ficar acordada até tarde. Pelo visto estou fora de hábito, porque estou realmente cansada. O dia foi bom. Sin City é legal. Preciso ler os quadrinhos. Estou com saudades o tempo inteiro. É incrível como não passa. Hoje me dei conta que talvez eu possa ficar 6 meses sem a pessoa que amo. Isso me fez sentir esquisita. Um pouco triste. Comecei a ler Capitães da Areia, é um bom livro. Sono. Dormir.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Espelho do eu - Capítulo 1: Observar.

Como se já não bastasse refletir, ele assustava. Fechar a porta com a luz acesa e olhar para ele era aceitável. Apagar a luz portanto e continuar fixamente a olhar para ele, era tenebroso. O que afinal aconteceria se demorasse mais um pouco? Não sabia. Sempre voltava a acender antes que qualquer mal lhe ocorresse. E saia do banheiro intacto. Era lá que o mal se encontrava. E não sabia porque. Talvez fosse pelas histórias que lhe contaram, mas, já temia antes mesmo de ouvir falar sobre contos de terror. Afinal, o que há por detrás do espelho? E as vezes sentia que algo lhe seguia. Havia um quadro, um pequeno quadro oval, que lhe seguia com os olhos para onde fosse. Aquilo lhe preocupara. Decidiu então engaveta-lo. E decidiu isso ainda criança. Não gostava do quadro e pronto. Tinha medo do escuro. Então talvez não fosse medo do espelho mas sim, do escuro. Tinha medo de ambos. Sua vida foi recheada de medos. Era intrigante como perdia horas a fio a se observar. Considerando o espelho seu amigo, acreditava que alguém pudesse lhe observar dali. Mas ao ficar no escuro, temia o contato com o desconhecido. Sua sensibilidade um tanto quanto acima do normal lhe fazia temer o escuro. Parar, diante do espelho e observar. Se observar de todos os ângulos. Ali diante do espelho, um vulto passou. Coração pulsa, corpo libera adrenalina. Passou. Não havia ninguém na casa além de si mesmo.

sábado, 24 de novembro de 2012

Espelho do Eu - Prólogo.

Como faz pra matar uma parte de si que desconhece? Uma parte oculta que te cutuca e se esconde na sombra? Que parte oscura é esta que se esconde por detrás de mim? Que outro eu sinistro é esse? É a minha verdade ou minha vingança? Meu ódio ou minha mentira? Minha dor ou meu repúdio? Um enigma que não quero desvendar se forma. Um oceano profundo e frio coberto por uma superfície congelada. O que há no fundo deste? Que do espelho reflete a face. Do que sou ou do que almejo? Ambos feitos ou todos desconstruídos e distorcidos? Só me resta olhar.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Saga Capilar - parte 2

Então, fiquei de publicar a continuação e a situação atual de meus cachinhos. E aqui estou. Estou confusa a respeito das cores, andei querendo mudar novamente, mas, ainda nada muito certo. Eis aqui a versão deles vermelhos.


5.62 da Garnier

Alfaparf 6.66
Nesta época eu sabia bem pouco sobre cores, colorimetria e tal. Depois que aprendi, achei bem interessante e ele ajuda bastante na hora da escolha de uma cor. Vale ressaltar que há padrões de números para certas cores, enquanto isso, outras empresas utilizam outro tipo de numeração, então, é bacana conferir aquela tabela de cores com as mechas. Depois disso, pintei mais uma vez com alfaparf e parei. A cor desbotou, mas, ficou bacana. O interessante que achei da alfaparf é que ela não desbotou para uma cor feia.

Manhã.

Manhã.
Tarde.
E em seguida, a última e atual cor:





Luz artificial
Apesar da cor ser bonita, o desbotamento dela cai pra uma cor não muito agradável, mas, depois, estabilizou. Provavelmente desceu 1 tom. Em breve tiro novas fotos e posto aqui, após 1 mês. E aí?

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

21.11.12

- Faz um pedido. - disse em tom animado para mim.
- Como assim? - eu não sabia porque fazer um.
E então ela me explicou.
Até então eu não tinha ideia do que pedir. E o pedido que pensei a princípio eu já tinha feito e ele já estava realizado. Então, sendo assim, fiz um pedido novo. Ela também fizera um pedido. Fiquei me perguntando se ela fizera um pedido ligado. Eu sei que depois de pensado, o fiz.
- Vai acontecer. Sempre realiza. - me confirmou com ênfase.
- Então está certo. - respondi feliz.
Então está feito.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

19 de novembro. 14 horas. Anotando no caderninho.

"Não gosto de coisa metódica. Começo arrumando e depois fico sem paciência. É um saco ficar arrumando tudo. Gosto da minha bagunça. Ser forçada a organizar confunde minha mente. Muitas coisas nesse sistema não tem sentido para mim. Eu continuo a cometer gafes sem notar com a Ká. O pior disso tudo é que não me lembro de nada."

p.s. Fico me perguntando o que será isso.
p.s.2. Estou fazendo de tudo para melhorar ao máximo.

domingo, 18 de novembro de 2012

...Liberdade sempre? 02#

Ah! A liberdade! Estou vendo cada dia que passa que estamos numa grande prisão, uma prisão globalizada. Estamos num grande globo com flocos de neve em seus polos. E agora vamos partir para outra questão, a capacidade de movimento neste globo. Para nossa sorte, ele possui uma extensão que nos proporciona girá-lo e dá pra morrer antes de conhecê-lo por inteiro, caso contrário, seria angustiante conhecer tudo e não ter nada de novo para explorar, pelo menos, digo isso as pessoas com espíritos aventureiros. A grande graça da aventura é a capacidade de conhecer coisas novas. Ainda bem que há muita coisa para explorar. Ser livre é a sensação mais enérgica, porque quando se é livre, podes tudo, com seus limites éticos. Não é coerente ser livre oprimindo o outro. Eu ainda não sou livre como hei de ser. Quando eu for, irei relatar a respeito disso.

O amor nos prende, o amor nos deixa livre sim, mas, temos uma ligação a alguém. E não podemos mais partir quando bem entendemos pois deixaríamos o outro preocupado, com saudades nossas, com ciúmes em seus casos mais extremos. O amor a outro, nos torna mais cautelosos.

A liberdade que temos não existe. É ilusão. A realidade é que estamos ferrados. Ser livre é de certa forma ir contra a maré. Enfim, a liberdade sempre irá exigir algo de nós. Ela não, mas, o sistema sim. Ou irá exigir, ou retirar. Tudo.

Enquanto matéria, estamos magnetizados e presos. Nos movemos mas estamos sempre presos. A tecnologia nos consome, destrói o que somos, colocam coisas em nossas mentes, nos dão a falsa ideia de vida e assim seguimos.

E você, acha que somos livres?

sábado, 17 de novembro de 2012

Momento de tensões

Eu sobrevivo. É um saco suportar essas coisas. Esses comportamentos, essas reações esperadas, essas atitudes não realizadas, esse falso afeto. As emoções borbulham, e tenho muito desgosto por essas pessoas ruins. Esse mundo ruim. Esse ponto no meio do universo é podre. A natureza é natural enquanto nós somos sintéticos. Isso é muito cruel, é frio. Isso dói. Ver além dói muito. Já não há mais graça em ver o comportamento malicioso e destruidor. É doentio conviver com tudo isso, é triste. Esse mundo há de perpetuar assim, e esse é apenas mais um escrito de dor que não irá tão longe.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Barquinho

Eram dois barquinhos
Apenas dois
Que se encontraram
Em meio ao mar
Jogou-me a corda
Eu segurei, depois soltei
Joguei-lhe a corda
E nós estamos a navegar
Num barco só, a sós
Enfim nós

Era nós dois
Um só barquinho
Um só amor
Mesma emoção
Em sintonia
Que tempestade enfrentou
E finalmente
Chega  no seu cais
Que ancora no porto,
do amor.

domingo, 11 de novembro de 2012

Tatuagem

Ela me olha
Não sei o que quer.
O que tem em mim,
dona moça?

Outro sinal no braço
Sem olhos de mel
São escuros
E profundos

Quer me avisar?
Talvez conversar?
Se cuide
Até outra vez

Quer meu contato,
retrato, ou,
fato que nem sei
Então se cuide, quem sabe outra vez.

Se tu acha meu ser engraçado
Não se encante, aqui não tem vez.
Sou 100%
Não quero mais 3.

Porque
Eu já sou dela
E ela sou  eu
Já tenho meu cais.

sábado, 10 de novembro de 2012

Sobre o domingo, amigos, filme

Afinal, nem tudo são mágoas. Amanhã vou sair ao encontro de dois amigos meus. Inclusive irei ver uma amiga que faz parte do Isa Sem Neura desde o começo. Yô. Irei ver o Ozzy também. Se você quiser ir, está convidado também. Se não assistirmos filme, iremos conversar sobre a vida em vários aspectos. Preciso desenvolver o projeto Suburbana o quanto antes. Pretendo formar um grupo com amigos e realizar gravações. Preciso de um emprego e estou à procura. Qualquer coisa, aos mais íntimos que quiserem saber aonde vamos, pergunta in box.

Que pena.

Hoje não estou bem.
Provavelmente é a tirana de emoções me atacando de dentro pra fora.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Dias, mudanças, paz

Sabem, estou passando por uma série de coisas e desde então não tive muito tempo para publicar algo relevante. Só tenho feito pensamentos cortados, poemas, nada que pudesse ser tão claro quanto este texto aqui. Eu estou bem, como nunca estive antes. Estive acordando cedo por conta do curso, parecia um zumbi certos dias de tanto sono. Fiz a prova do Enem. Assisti uns filmes. Li Bangüê de José Lins do Rego. É um bom livro, você consegue sentir como se o autor estivesse falando com você. Ando muito mais quieta do que o comum, estou com pouca vontade de conversar. Assisti ao primeiro episódio de American Horror Story e está muito bom. Ia ver o segundo mas, acabei dormindo, ia ver o terceiro e acabei esquecendo. Fiz  mudanças no cabelo e pretendo fazer outras. Vou deixar o cabelo crescer pela praticidade, mas, tento pensar em algo pra ele. Até então quero o ruivo cobre, mas, ainda não sei se irei permanecer com a cor, já estou pensando em mudar. Vou olhar uns sites para ver se me inspiro. Preciso praticar mais violão, preciso praticar minhas músicas. Estou sem ideias para fotografar, meu celular também não colabora muito ultimamente. Apesar disso tudo, estou em paz.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

É

não é
talvez
outrora
ao invés
revés
findou-se
refez
voltou.

Dor passou
o amor
nunca se foi
portanto,
somos
mais do que nunca.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Qual a sua tribo?

Cada indivíduo tem suas necessidades. As pessoas possuem gostos em comum. E quando isso não acontece, o que se pode fazer? Gênero Alternativo. Você desconstrói um pouco de cada coisa e tenta se formar. Isso forma um novo gênero. Então, se ainda assim você não conseguir fazer parte, o que você faz? Crie algo seu. Simples e eficaz. Você não precisa se encaixar nas formas do mundo que ainda possui várias lacunas. Crie sua peça e encaixe-a no mundo. Talvez outros estejam com esses mesmos anseios teus.

domingo, 4 de novembro de 2012

Flor de Capersil

Eu amo-te além do que poderia ser visto. Além do que pode ser visto.
O fato externo é apenas um agregado do que me fez apaixonar por dentro.
Involuntariamente mas em concordância o músculo de carne palpita. 
E as veias comprimem e pulsam desesperadamente quando enfim partes.

O encanto ao primeiro inspirar, 
Ao tato.  
Me surgira 
de dentro para flora, 
em flor 
aflora. 
Floresceu e inebriou meu coração. 

Assim é 
Flor de Capersil.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Móbile

Que o escárnio da pele se propale.
Que a dor rasgante [des]ampare.
Que daqui por diante isso passe.

Disseram me amar.
Partiram, 
nunca mais voltaram (e nem voltará).
Foi pai,
Segunda Mãe,
 que logo fora substituída por outra que se foi
com um infarte em sua alma.

Ser vivo
que nasce entre mortos
junto deles
está[rá] em casa[?].





quarta-feira, 31 de outubro de 2012

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

História Geral

Mais valia
Despotismo
Pois se, a prova
Liberalismo
Capitalismo
Socialismo sem sol
Anarquismo sem vox
Suserania em topo
Vassalagem em fosso.

Esse terror,

que permeia os olhos das nações.
Que fulmina o ódio entre as nações.
É fruto do mal da existência.
Corrupta, humana e terrena.

domingo, 28 de outubro de 2012

Essa é pra tocar na tv...

Sem querer acabei de encontrar um blog interessante que talvez lhe interesse também. Sabe quando toca alguma música em uma propaganda e você até mesmo conhece mas não se lembra o nome? Pois então, achei um blog especializado nisso! (:

Confiram aqui.

sábado, 27 de outubro de 2012

Rever-o-tempo ou simplesmente Déjà vu.

E já era.
Talvez fosse outrora
Talvez não mais fosse
O disco sem fim
Meu disco sem fim
Se repete
Desta vez com uns detalhes diferentes
Ou talvez iguais, porém esquecidos.
Ou talvez apagados propositalmente.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A roupa

A roupa
O ser
A roupa
Ou ser
Ser roupa
Não ser
Sem roupa
Sem ser
Com roupa
Outro ser.

Sol[à]r dor.

Ele queima.
Não tanto ou tão quanto,
a dor de amor?
Não se sabe.
O amor afeta a mente.
O sol queima na pele.
Dor de amor.
Insolação.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Maria 01#

Maria.
A minha Maria é linda.
Ela é caule.
Eu sou flor.
Orvalho.
Maria é sereno.
Meu sereno.
Eu sou a flor de Maria.
Perfumo seu coração.
Maria.
Eu, doce.
Ela, salgado.
Macia.
Tem espinhos no caule.
Tem espinhos na flor.
Tem amor em Maria.
Tenho amor por Maria.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Nunca que se desenvolve este corpo!
Sempre inchando e esvaziando com o partir do ciclo hormonal elevado.
Nada fica, que é isso?
Andrógena sou, doente errada.

Felicidade.

"Será que a encontrei?"
Não soubera direito desde então. Fora feliz ou julgou ter sido? Era um grande mistério. Observar através de imagens em múltiplos sorrisos facetados era complexo demais. Hoje não fizera nada de tão especial. Caminhou conforme o costume, encontrou um pouco mais de choros calados e nada podia fazer. Não era a Madre Teresa, talvez nunca seja. Quisera dormir e nada feito. Decidiu mergulhar no mar, de maneira serena. Aquele dia as águas estavam mornas, o clima ajudou bastante. Sentiu o contato da água com o corpo e foi nadando rumo ao fundo. Era muito terno aquele mar quente abraçando-a enquanto parecia sonhar. Flutuando por entre as marés, decidiu parar após ter conseguido chegar a pedra da lua.
Quisera jogar seus prantos no mar, não podia, então os deixou ali, em seu rosto.

domingo, 21 de outubro de 2012

Matar [o] que é bom, nada.

Era apenas uma bela manhã, com nuvens espessas, o dia começara sombrio. Chuva intensa que se afinou. Caminhando e olhando para os próprios pés seguiu, por mais um dia neste itinerário em ciclo. Vai, volta, dorme, acorda. "Que mísera vida!", pensara. Talvez outrora fosse por seus dias sempre iguais, mas, já não era. Nada mais era de fato tão importante. O mundo tinha uma forma estranha de existir. As pessoas coexistindo porque necessitam de laços nunca compreendidos. Amam fulano, querem Ciclano, comem Beltrano pois, Beltrano é fácil. E foi neste trilhar de dia chuvoso e frígido que o sol surgira. Estava um tanto quente apesar do dia aparentar nebulosidade. E foi assim que pegou a carta digital, entregou seu dízimo de vida e sentou-se ao lado do sol.
- Bom dia - disse.
- Bom dia - sorriu, iluminando tudo em volta.
Estar em contato com o sol pode ser ofuscante, alguns diriam mortal. Mas é tão apaixonante poder vislumbrar algo tão belo, de perto. E estar tão próximo gera aconchego, calor. Já não precisara mais das vestes de frio. E assim retirou o casaco que trajara aquela manhã. Chegou numa estação onde o submundo do mundo existe. Onde o que é frio torna-se macio, o que é lixo, pode ser café da manhã de outrem. Realidades gritantes. Elas estouravam e nada, nem ninguém os ouvira. Continuou seguindo. Subindo escadas frígidas, caminhando. Tivera um bom dia. Gostava de olhar para o sol em demasia. Após saciar-se em seu refúgio pessoal, caminhara mais uma vez ao encontro do que poderia ser uma de suas vocações de vida talvez. Vira que não tem uma vida tão mísera. Quisera ser doce e poder brincar com todas aquelas crianças que talvez não mais estivessem ali depois de alguns meses. "Tem pessoas demais por aqui", pensara. E nada fez, apenas observou e quis com todo coração cuidar.
- Quero fazer algo do gênero, ajudar, desenvolver.
- Também. - "Temos desejos iguais." - foi o que pensara.
Caminhara de volta, por trechos não percorridos antes a pé e seguiu sem medo do que talvez pudesse acontecer, e nada aconteceu. Retornara com um pouco de fé que afinal haviam pessoas boas naquele mundo.

sábado, 20 de outubro de 2012

O que te anima?

O que te anima minha menina,
menina, menina
O que espera na vida,
vida, vida
O que te assusta querida,
querida, querida
Não se aflija, você é maior do que tudo isto.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Hoje,

eu precisava dormir, e não apenas isso, eu precisava sentir. Controle automático desativado. É realmente fácil sacar como as pessoas se adaptam rapidamente ao sistema. Fora disso, voltando pra mim, estou entediada do mundo. Faremos mil análises sobre os problemas sociais, pode-se até tentar saná-los, mas, o mundo   continua o mesmo. Utopia. Hoje nosso mundo é utópico e ilusionista. Eu quero apenas dias tranquilos vivendo ao lado de quem me respeita e me quer bem. Fora isso, a realidade é que a vida das pessoas piora a cada dia.


Eu estou preocupada com o Enem. 
Estou com saudades de você constantemente.
Nunca soltei sua mão, acho que apenas parei de andar por uns instantes.
Vamos continuar sim (:

domingo, 14 de outubro de 2012

Efusamore

Tão linda,
tão solenemente bela
em todos os aspectos
pensados ou não.

Tão grande e frágil
tão forte e sublime
tão cega estive antes
e agora já enxergara.

Pois de maneira tal
já não podia-se mais dizer que a amava
porque é algo além disso
talvez fosse o amor mais puro que já sentira.

E perdida em tantos pensamentos
chegando ao êxtase de loucura,
voltou a si apaixonada
e amando.

Efusamore.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Saga Capilar - parte 1

Vejamos, por onde posso começar...

Nasci com um cabelo bem escuro, acredito que quase preto. Ele clareou com o tempo, ficou loiro na infância e no fim das contas ficou entre castanho médio/claro. Passou o tempo e sempre tive vontade de mudá-lo. Queria cortar e o fiz. Quem me conhece, sabe o quanto gosto de mudar meu cabelo. Dei luzes e um corte em junho do ano passado. Vejam um pouco dessa mudança.

Cor natural:



"Primeiro corte" de muitos outros:



Luzes e corte:


Achei o resultado um pouco forte no começo, isso foi mudando com o passar do tempo e até que curti.




Só que tinha vontade de cortar (e precisava) e foi o que eu fiz:



No próximo post contarei sobre a minha primeira mudança radical e a decisão de querer vermelho.

O que acharam das mudanças? Deixem seus comentários :)

p.s. Na página do Isa Sem Neura no facebook coloco mais fotos.





Androide

Não sou mulher,
sou um indivíduo,
com hormônios femininos,
com poucos seios e sem pinto.

Sou androide.

Sou covarde,
não sou forte,
ser mãe por minhas entranhas,
nem cogito.

Sendo homem
seria o leão covarde
daquele mundo,
o tal de Oz.

Sendo mulher,
sem poder de sedução,
sem força de mulher,
sem sensualidade.

Mulher de batom é bela,
eu com batom,
miséria.

Talvez eu nunca descubra o que de fato sou.


sábado, 6 de outubro de 2012

Espetáculo, cores, resumo

O dia começou bem e terminou bem! Sim, apesar do trânsito caótico que enfrentei, foi por uma boa, ótima causa. O nosso encontro fora bom e exótico, divertido. Eu senti ciúmes pelo fato de que eu como sendo da doninha, tenho que ocupar carga horária maior depois de Fred. 

Estava pesquisando cores de cabelo. Fiquei dando uma passada de olho nos loiros. Alguns realmente chamaram a minha atenção e fiquei em dúvida sobre vermelho ou loiro. Por fim, observei que o loiro que eu gostaria pra tirar depois só com uma tinta muito escura e outra série de fatos que não estou afim de relatar por agora. Quem ganhou no fim das contas foi o ruivo natural. Eu sempre fiquei fascinada com esta cor. É exótica e bonita. Combina comigo. Espero que combine com meu tom de pele. Eu pintei meu cabelo de vermelho há um certo tempo atrás, neste ano. Eu queria o cabelo vermelho, mas, depois, vi que meu objetivo é ruivo natural. Vou em busca de minha vontade :)

domingo, 30 de setembro de 2012

KAIS 02

Não tenho vontade de conversar com mais ninguém além de você. O que os outros teriam a me dizer de tão importante quanto algo que venha de tua doce voz? Eu quero me aventurar contigo, trilhar, acampar, viajar, passear ali na esquina. Quero tanto poder passar longas tardes ao seu lado. A palavra nem seria querer, mas, viver. Viver muitas coisas boas ao seu lado.


Não tenha medo, 
Lhe ajudo na travessia
Não sei nadar
Pra flutuar, basta a sua companhia






Vida, amor, estudo

Hoje tive um dia tranquilo. Estudei matemática e consegui resolver uma questão que não estava acertando ontem. Fui dormir com os olhos marejados e acordei mais tranquila. Se tive algum sonho eu não me recordo. Tive um "deja vù" numa conversa com minha mãe hoje. Fiquei um tanto preocupada com o fato do meu possível romance terminar. Disse que era livre pra onde quiser ir. Se voltares é porque és minha. Disse que eu era livre para ir onde quisesse, mas, voltei. Sou tua. Chorei de felicidade ao receber sua ligação hoje afirmando justamente o contrário. Estou conseguindo fazer as coisas direito. Dessa vez tudo está dando certo e não tem porque ter um fim (pelo menos para mim). Cantarolei umas bobagens aleatórias hoje. Assisti um filme que não me comoveu nem um pouco, A Fera. Tentaram fazer a bela e a fera numa versão adolescente. Em resumo, descaracterizaram o filme e os atores não me fizeram chorar, rs. 

Tempos difíceis estes, mas, eu sei que adiante, será tudo melhor.



Para ti Carolina, um pequeno gesto de afeto.
Achei interessante o fato de estar escrito "uma rosa para a Maria".

Que floresça tudo que há de bom para existir.
Teu sol há de brilhar meu amor.

sábado, 29 de setembro de 2012

Conflitos do tal ser

Será que faço parte deste mundo?
Espero e observo.
Quando corri atrás, 
foi por erros.

Não acerto nunca
E quando acerto
Começo a errar.

Não fui criada pra sentir,
só pra fingir, mentir, iludir.
Pessoa dizia que o poeta é um fingidor,
seria eu um poeta da vida?

Na verdade
Há mentira
Mentir é verdade
Verdade é mentira.


Brisas, ventos, tornados

Como uma brisa,
virou tornado e removeu,
umas telhas.

Sempre a brisar
uma ventania surgiu
sem esperar
levou minha sombrinha.

É tornado?
estou à ventos.
É medo?
sou tua brisa.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Ciúmes no hormônio, amor bom, reflexões

Estou amaldiçoada por este infame sentimento que faz meu coração pulsar mais forte, e ao mesmo tempo que estou amando, me odeio por senti-lo. Ciúme é um intruso. Não é um dos melhores a sentir, não sei se é um dos piores. Tudo depende em qual momento o sente. Não estou perdida mas espero que tenha me encontrado. Vale ressaltar que nesse período os hormônios ativam e a sensibilidade aflora. O medo invade e inunda como uma cheia e aí tudo parece frágil, assim como o sentimento. Sei de algo muito importante. Preciso dormir. Amanhã acordo melhor.



Apenas sei que sinto e não sou algo tão importante. 
Sou um mero conjunto de células que nasceu errado.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Ideias, surpresas, saudades

Eu tive uma ideia ontem, mais uma hoje. Ainda estão na fase inicial. São uns desenhos/frases para tatuagem. Comecei a fazer uma surpresa ontem. Terminei hoje de manhã e completei hoje de manhã/tarde. Fui ao médico hoje fazer um exame. Almocei com minha mãe e completei a surpresa. A saudade é boa e eu acho muito bom um abraço assim. Espero que seja satisfatório, quente e cheio de amor, assim como a minha vontade de realizar.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Sobre o filho não doado

Se vivo por ti
Vives por ele
Me dou pra ti
Se doa para ele

E se ele chutar-te
Volta em prantos para mim?
Não sei se aguento
Ser deixada de lado por um filho não concebido mas adotado por ti

Se fossemos os três
Mas aqui só tem dois e um
Vocês mais
eu olhando.

Por que é tudo sobre amor?

O amor, 
ó amor, 
maldito seja!
Aliás, ele não, 
as pessoas que não são dignas de senti-lo.

(Isa, sobre o amor)


Pois então, o amor. O amor é o sentimento mais sublime. Ele movimenta as coisas. Alfa, ômega. Através do amor você pode ser mais feliz. Amar. Pode-se escolher o que amar? Acredito que o amor está em todo lugar, ele vai se manisfestar na sua vida diversas vezes. Deixe se levar, não se culpe. Ele está aqui para ser sentido. Muitos não acreditam no amor. Eu não acredito nessas pessoas. O amor pode matar. Justamente porque não sabemos compatibilizar com o nosso corpo. Ele é mais.


Enquanto isso... na minha vida...

Hoje não estou muito bem. Estou um pouco chateada, triste não seria a palavra para definir. Hoje eu pensei bastante. Fiz umas reflexões a toa. Falei umas coisas, esperei. O de sempre. Estou com meu sentimento exagerado novamente. Preciso me controlar. Não vai dar certo se eu continuar me perdendo desse jeito. Preciso cuidar de mim, se eu não fizer, ninguém fará pela minha pessoa. Hoje acordei tão bem mas com o dia passando isso foi mudando. Senti ausência hoje. Espero que um dia eu entenda direitinho como você funciona. 

Eu preciso enxergar. Eu preciso me enxergar. Me anulei. É ruim, eu sei. Vou tirar a sujeira dos olhos pra ver o que resta de mim.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Tripulação de Moisés: Para não andar na prancha.

Sabia que o Éter para existir tem que estar entre 2 átomos de carbono? A característica do éter para sua existência é a presença de um heteroátomo, ou seja, um átomo diferente do carbono, neste caso o oxigênio (Caracterizando o Éter). Basta recordar de homogênea e heterogênea dos hidrocarbonetos. E como isso é possível com menos de 2 carbonos? Não há possibilidade. Então, não esqueçam desta regrinha jamais!

O átomo de carbono é tetravalente. Pode realizar 4 ligações. Sendo 4 simples, 2 duplas, ou, 1 simples e 1 tripla. Então carbono com 5, 6, 7 ligações é impossível! E ele ainda nos questionou em sala se o álcool poderia ser quaternário. Lembram? Então, para não esquecer, repito mais uma vez: O carbono é tetravalente podendo realizar apenas 4 ligações, se você ver mais do que 4 está errado.

Para nomear e classificar uma cadeia precisamos seguir um passo muito importante:

 Localizar o grupo funcional e as insaturações na cadeia carbônica.

Álcool possui hidroxila (OH-)
Éter esta entre 2 átomos de carbono no mínimo (C-O-C)
Cetona possui carbonila (C=O)

OH-, C-O-CC=O representam o grupo funcional de uma cadeia.

Nota: O grupo funcional é mais importante que a insaturação.

Nomenclatura

Álcool

Prefixo + infixo (geralmente an) + ol

Éter

Nome da cadeia mais simples + nome da cadeia mais complexa
     Prefixo + oxi                                 prefixo + infixo + o 

Cetona

Prefixo + infixo + ona

Quer saber como nomear cada um dos compostos citados acima? Recomendo leitura e exercícios de Martha Reis.

domingo, 9 de setembro de 2012

Mais um feriado, The Deep, American Horror Story

Uau! Estou de volta sem ser com algum poema, texto sem ligações curtas ou algo do tipo. Andei lendo uns textos meus do começo do blog, e a fonte era muito agressiva visualmente, rs. Acho engraçado isso. É que até então eu não sabia da possibilidade de maior escolha das fontes. Então acabava por utilizar as que o blogger oferece na parte de edição do post. Mudei o visual do blog porque eu queria adicionar um pouco de cor pra ele. Mudei algumas fontes também. Hoje tirei o dia para olhar pro vazio. Descansei, senti uma vontade de dormir hoje à tarde mas não o fiz. Fui tocar violão e tive ideia pra uma nova música. Acabei por anotar os acordes. Percebi que a música lembra uma outra, de uma banda cujo não me recordo agora. Hoje meu Facebook não abriu, segundo eles está em manutenção. Meu feriado foi tranquilo, eu gostei. Dormi, vi um filme dirigido e produzido pela Drew Barrymore. Garota Fantástica. Recomendo.


Descobri uma série nova também, muito bacana chamada The Deep. É como se fosse um mistério. Pesquisadores mergulham no oceano em busca de fontes de energia, de alimentos para ajudar o pessoal da superfície porque os recursos estão ficando escassos. Cath, a pesquisadora, descobre algo impressionante, e aí ocorre um acidente com o submarino da tripulação dela, onde o mistério se inicia. Estou muito empolgada com a história pois em cada novo episódio você não sabe o que vai acontecer. Série produzida pelo Reino Unido. É meio diferente para quem está acostumado com séries americanas, mas, é muito bacana. Confiram!

American Horror Story - Asylum
Já foi confirmada a sua segunda temporada e estou ansiosa.
Sua estréia no Brasil está prevista para 8 de novembro.



Evan Peters está de volta!


Confiram os vídeos do canal e se arrepiem!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

01:01

Onde começo meu proclame
De um grito infame e sem respaldo
Estou aqui de braços cruzados
Não por querer, mas, por não ser nada neste mundo onde o metal é quem faz o gongo.

Se assim fui criada, para que me foi colocada esta ideia?
Preferia viver no mundo ilusório do que penar e sofrer.
Mas isso não cabe a ninguém senão minha forma de ver o mundo.

Matrix, uma futura composição, talvez.

Preciso encontrar minha Matrix.
Ela não existe (vou compra-la)
Não existe (vou cria-la)
A felicidade como sonhou

Em meu campo
Há tristeza, há remanso
Há morte, há cura
Para quem quiser

Se enobreço
Noutro dia nasço pobre
mesmo sendo criada
num conforto de berço.

Continua...

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Simbiose

Estava meio aérea com o mundo. Metamorfosear. Sem visões por esses dias. Simbiose. Sonhos bons esquecidos. Poucas palavras. Terminar a leitura do livro, já estou quase no fim. Estudar. Exercitar o raciocínio lógico. Caminhar. Trocar cordas do violão. Compor. Dias normais. Excêntricos. Renovadores. Bons e doces. Hormônios regulados. Emoções estáveis. 

Saudades. Abraços confortantes. Felicidade.

Quer?

Querer não é poder
Querer
Querer é fazer
Fazer

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

KAIS

Meu corpo entorpece só de ouvir seu nome.

Eu faço coisas que nunca fiz antes por ninguém, estou nessa porque quero estar.
Eu quero amar.
Se eu puder te amar então, melhor ainda, porque você quer o meu amor.
Isto é novo.
É gostoso de sentir, é confortante, me confunde, me enlouquece.
Me arde e me descontrola.
Meus nervos não tem reação nenhuma perante nada.
Não consigo mais ficar longe de você.
Minha mãe diz volta e meia: -É tudo Carolina, é tudo Carolina!
Se minhas lágrimas caem agora, é porque meu sentimento por você as motiva.
Eu estava só, desacreditada no amor, e você chegou como um fio de esperança.


Filosofias em conversas 03#

Mas..
a vida tem lá suas explicações pra tudo né?

Não.
Nós que queremos que a vida tenha explicações para tudo.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Clap! Clap!

Parabéns vida traidora mentirosa maldita. 
Vida. 
Que coloquem aquela bomba de hidrogênio pra explodir este vasto mundo porque os humanos já estão a destruir
mesmo.

sábado, 11 de agosto de 2012

CAIS

Hoje pensei tanto em você. Hoje pensei em você mais ainda. E fiquei triste por não poder fazer mais. Fiquei triste por ter muita vontade de fazer mais e não fazer tanto quanto mereces. Sou útil até certo ponto, sendo eu útil por inteiro, logo, seria para tantos outros. Tenho que ser útil para você. Se hoje existe algum motivo que me leva a algum sacrifício, é você. Hoje estou numa condição onde você provoca meus sorrisos mais intensos, meus gritos, arrepios e calafrios bons. 
Estou muito triste por não estar com você o tempo inteiro. E isso aumenta cada vez mais. Sentindo cada vez mais a necessidade de ti. Isso hoje está me doendo mais do que antes. Espero que isso não signifique que vou te perder. Geralmente quando alguma dor assim surgia, era sinal que algo havia acontecido e fiquei para trás. Que desta vez seja apenas por não ter a ti por mais tempo. Eu até já me preparei para o pior, de verdade, só que hoje não é mais assim. Hoje isso não funciona mais. Hoje meu pior é ficar sem você. Hoje o meu dia está pesado amor. Hoje tudo o que eu mais queria era estar em torno dos teus abraços, te abraçando e te amando. Te ninar, quanto tempo faz que já não o faço. Eu sinto saudades, de verdade. Eu acredito que você também sente. Espero ser tudo o que és pra mim hoje e sempre. Já sonharam comigo indo casar, vestida de branco e tudo. Hoje, faço questão desse dia.

Vou tratar de cuidar de mim para que eu possa cuidar de ti.

Eu te amo.

domingo, 5 de agosto de 2012

De-pressa-o

meu corpo vive o tempo inteiro
que nem o meio espera.
queres tudo por inteiro
e nunca sossega.
sempre tentando compreender
o porquê dos malditos limites criados
acredito que fora feitos para fazer sofrer
dos mais ricos aos miseráveis

ó sim! fazei o tempo tomar de mim
o que ainda não tenho, o que tenho e hei de perder
o que tudo possuo e que quando morrer será consumado por outro em meu leito
que hoje em prantos, amanhã sorriem e agradecem pela minha ida

pois eu, que já não era o bastante nem mesmo para mim
não poderia ser o suficiente para outrora e meu coração todo dividido
me faz ver o quão não posso querer o que já não me pertence
meu coração precisa de amor meu, mas só que meus olhos sempre se voltam
para a doce menina de olhos cor de chocolate

sois tão ignorante que em tamanha displicência
criou sua própria demência para si
era mais reconfortante do que ser envenenado por malditos o tempo inteiro
em suas telas coloridas e tão pouco atrativas que mostram bunda e peito.

e sendo eu um ser tão complexo que mal consigo entender o que se passa em meu peito
sofro e choro por não saber qual próximo passo hei de realizar
sofro por não ter feito quando foi-me dado a oportunidade
e assim caminho, sem rumo, sem maldade

meu ser já não me pertence, não vivo mais para ninguém senão por um amor cujo não se faz presente
estou vivendo feito alma penada, perambulando de casa em casa, olhando em outros portais algo
que já não mais necessito buscar e que ainda sim o faço pois não sei o que se passa dentro deste meu, fatídico e ferrado coração de músculo e carne.

maldita hora em que nasci e fui designada para entender algo cujo ainda não tenho uma ideia
se fora para entender os homens, me arrependo abruptamente pois em tamanha miséria em que se vive uns por opressão a outros, meus olhos marejam por tamanha agressão visual

sendo eu, após todo meu proclame, sem sentido e louco pois sanidade está ameaçada desde tenra idade, já não sei mais para onde vou.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Bip's

E meu cérebro já estava cansando novamente. Pesaroso em tédio. Bip. Ele desperta para viver de mais um dia que se arrastava pesaroso. A noite anterior foi muito bacana. Com músicas nunca mais tocadas já fazia certa feita. E mesmo que cansada e com sono, as músicas serviram de bálsamo para acalentar o corpo para entrar em estado de repouso. Bip. Acordar foi inevitável. Levantei e fiz tudo conforme o esperado. Talvez não em reações, porque hoje eu não estava aqui. Esperar. Esperei o dia inteiro. No frio com aquela fina garoa que iniciava, só eu estava. Bip. Ela chegou, não tão diferente, nem tão igual quanto antes. Eu ainda estava em transe. Ainda não acordei, preciso dormir.

sábado, 28 de julho de 2012

Marcus Chan, um amigo de sonhos reais.


Isa -  Conte-me um pouco da sua história. Como tudo começou? Quando fez seu primeiro rabisco?

Marcus Barbosa - Opa, boa noite, Isa. Fico feliz em ser entrevistado para o teu blog. Bom, tudo começou há uns 16 anos atrás, mais ou menos... Quando comecei à rabiscar. Tinha uns 2 anos, na época. Foi daí que saiu meu primeiro desenho: um Volkswagen Santana, da primeira geração. Já nessa idade, o meu gosto por carros foi despertado. E foi então que, quando aprendi à ler, aos 3, eu comecei à colecionar revistas de carro, como presentes do meu pai. Além das revistas nacionais, recebia revistas de várias nacionalidades, onde se despertou também o meu interesse por idiomas. Das revistas para os desenhos de carros, foi um tapa.

Isa - Sobre a cultura oriental, de onde surgiu esta apreciação?


MB - Olha... Foi através do Jackie Chan.
Como sempre me interessei pela vida artística, me via fascinado nas cenas de ação, na maneira como eram filmadas, no trabalho dos dublês, na Cultura bem explorado, no diferencial do cinema asiático em paralelo ao fadado norte americano. Foi então que em 2004, aos 10,comecei à treinar com amigos, em 2010, formei uma equipe de ação. Foi através do Jackie Chan também que aprendi outros idiomas, assistindo seus filmes, como o inglês, o chinês (facilidade em pronúncia e escrita), espanhol e por aí vai.
(Off: Isa - Show! :)
Marcus - Espero não ter escrito demais. rs.
Isa - Que nada, entrevista é pra isso ué.
Marcus - rsrsrsrs.)


Isa -  E foi nessa época que você pensou em criar uma equipe de dublês?


MB - Sim. Usar a arte marcial, as lutas apenas na arte. Violência artística, se é que posso colocar assim, rsrs. Fora da arte, jamais. E é claro, o trabalho pesado dos dublês. Mas, durante esse período, passei por diversas crises. Eu sempre corri atrás dessas coisas, e, talvez pelo meu jeito, as pessoas se afastavam de mim, e, por várias vezes fui taxado como louco ou idiota. E até hoje sofro com o abandono de vários "membros", pois, essas coisas são tomadas como infantis e eles não podem sujar a reputação deles com as garotas. Até entendo o lado deles.

Em breve, atualizarei.

Confira o trabalho dele aqui:
Desenhos

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Boom! - Final

Estou de jejum de porra nenhuma

Minha boca não quer mais, meus pés não querem caminhar
se não for ao seu encontro
Toda aventura que um dia tanto quis, até como minha vida se foi,
estou muito agoniada.
 R I A
A                              Minha boca não quer
M                             mais falar o que vem
O                             do meu pensamento,
R                              ela está de greve.

Quer, não quer                                              Minha mente está de
quis, não quis                                                 greve de mim.
faz, não faz                                                    Todo o meu consciente
para, não para                                               foi e aí o que tenho por
                                                                                                              sobra
Tento, não tento                                            está sendo devorado pelo
ser, não sendo                                               corpo totalmente mórbido
vai, não volta                                                 [e] cansado.

Vá chorar pra sua mãe!                     Antes nunca
Se ela morreu foda-se!                      do que tarde
Sua existência basta.                          se for pra morrer
Pare de buscar por dores                   que seja pra ontem
seu mimadinho imbecil!                      antes de Maias, d.C e
                                                         Egito e Grécia
                                                         coliseu e gladiar
                                                                Parou! Parei!
                                                                nada para, nem você.

Boom! - Parte 2

É tudo tão desgraçado
Dilacerei toda aquela fera
Que se mostrou vil
perante minha angústia.

Sou um ser outrora
amargurado, pelas inconsistências da vida
infeliz, pela mísera vida de merda
tudo, porque me encontro
nada, quando encontro um maldito fio que sobrou.

Sou um ser outrora
feliz, apenas quando tenho a ti perto de mim
alegre, quando os outros abrasam tua ausência
sóbrio, por motivos casuais
em coma, de um constante pesar

Este coma me leva,
me come, me rói,
me amordaça, me emudece,
me entristece, me enlouquece.

Só tenho planos
para coisas móveis
mutáveis dignas
de repar-ação.

Boom! - Parte 1



Boom! Estourou uma bomba aqui fora. Boom!
Uma válvula explodiu aqui dentro.
Na verdade, mais outra de tantas
Provável que seja uma meta-mor-fose.

Mil formas, estou destruída
Fui exposta em tantas linhas
Que meu coração sentiu pesar
Boom! Outra válvula se partiu.

Hoje a natureza me mostrou
ela mostrou minha dor, que eu não queria sentir
Ela tão comovida, marejou sobre mim
Em resposta a reverenciei com meu silêncio.

Em meio ao cinza-mar
de céu e água
Vi o reflexo do que podia ser uma
faceta de mim

E já era um corpo
para manobrar  numas feias vestes
Experiência de quase morte
em plena vida.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

M

Dois mundos
se encontram vez ou
outra e eles
renovam e aquecem
esfriam e retornam
não dois mundos distintos
ma[i]s dois mundos mudados.

Gerador

Amar é doar-se
isso pode gerar dor
gerador gerador de
soluções não há
o que há apenas
é o se deixar.

Presente

Chega e faça-se presente.
Presente, tempo atual,
o tempo do agora
 outrora passado 
outrora prévio futuro.
Aquilo que é ofertado sem custo ao receptor.



quinta-feira, 5 de julho de 2012

...liberdade sempre? 01#

Esse é um tema que tanto adoro.

Temos aqui neste país, a dita liberdade de expressão, o que nem é levado a sério quando protestamos, nossas palavras são levadas pelo vento. Temos liberdade para ir aonde quisermos ainda sim delimitado pelas fronteiras criadas por homens. Então seríamos nós livres? Eu acredito que até certo ponto. Junto com a liberdade podemos fazer tudo o que quisermos. A liberdade nos traz experiência e autonomia. Quando você é autônomo, dificilmente sentirá falta de alguém pra fazer o que gosta.

Não sendo preso a nada, pode explorar todo o mundo na busca pelo que deseja.

Isso será benéfico e feliz para ti. Para isso precisa saber se queres isso. Queres? Então não há muito a ser dito a não ser: Voe! Sê livre para ir onde bem queiras. Viva paixões, faça amigos, explore todas as fronteiras possíveis e impossíveis.

Sobre o amor? O que você quer?

Queres paixões arrebatadoras que hão de tirar teu fôlego? Então não se sinta na obrigação de encontrar tudo isto em uma só pessoa. Isso não exclui a possibilidade de encontrares alguém que te faça vivo por longos anos, uma única pessoa com quem possa explorar e compartilhar disso tudo, então, és felizardo.

Só para que não aguardes por muito tempo, sem delongas, eis aqui o início deste texto que serão em diversas partes
 para você, 
Querida Leitora.

Grata por sua participação,
Isa.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Coisinhas Antigas de Caderno 01#

Assim como as estações, o amor se renova.
Assim como os invernos tortuosos, a solidão pesarosa é.
Assim como a lua cheia, a paixão é.
Mas quando o amor é verdadeiro, o tempo passa.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Coração Pula-Pula

É bem assim que ele vai e
vem vem vem vem
sacolejado e pisoteado
enchendo e esvaziando o fluxo sanguíneo
me fazendo respiração celular
informar meu cérebro
preu viver.

domingo, 24 de junho de 2012

Pensamentos Evidentes

Eu apenas sorrio ao olhar pra ti. Me faz bem. É tão espontâneo te admirar. Eu gosto disso. Sempre gostei de admirar o que é belo. E você é tão linda que eu não consigo parar de imaginar situações onde eu provoque teu sorriso. Gosto de te ver sorrir.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Ideias

Ideias fixas e paradas feito troféus em estantes, não é comigo. 
A ideia nunca para, ela se transforma a cada novo encontro com outras ideias.